Comissão entrega proposta de Programa Municipal da Pessoa com Deficiência Auditiva




Uma comissão de estudos, criada no ano passado, entregou ao prefeito Edinho a proposta para um Programa Municipal da Pessoa com Deficiência Auditiva ou com Surdez, nesta quinta-feira (19), no Centro Especializado em Reabilitação “Dr. Eduardo Lauand”.

Essa demanda foi apresentada à Prefeitura pela vereadora Thainara Faria (PT), o que resultou na criação da comissão de estudos. Toda a coordenação do trabalho foi da Assessoria Especial de Políticas para a Pessoa com Deficiência, vinculada à Coordenadoria de Direitos Humanos.
“O objetivo do programa é combater a exclusão vivenciada pelas pessoas com deficiência auditiva. A arte de governar é a arte de se colocar no lugar do outro. Dessa forma, vamos errar menos. E a maior transformação tem que estar na consciência de todos os cidadãos, não apenas nas mudanças físicas, urbanas”, afirmou o prefeito Edinho.
“A implantação desse programa é um passo muito importante de inclusão das pessoas com deficiência auditiva e de criação de uma nova consciência”, complementou.
Thainara Faria citou o exemplo dos jovens com deficiência auditiva e que não têm total liberdade para seus afazeres do dia a dia, como, por exemplo, ir a uma consulta médica com privacidade — precisando sempre de um acompanhante. “Estamos lutando para entregar uma liberdade de viver plenamente, sem barreiras”, pontuou a vereadora.
A assessora de Políticas para a Pessoa com Deficiência, Elisa Santos, reforçou que as mães integrantes da comissão lutam pelos direitos de seus filhos, “que sentem na pele as barreiras impostas pela sociedade”. “O governo entendeu a importância desse programa. Que lutemos por uma sociedade em que todos tenham os mesmos direitos de fato.”
A coordenadora de Direitos Humanos, Maria Fernanda Luiz, destacou que as propostas não nascem da cabeça dos governantes. “Elas nascem do diálogo com a sociedade e com as pessoas com deficiência auditiva. São resultado da luta de diversas mães. Existe muito a ser feito, mas alcançamos algo de muito valor”, reforçou. Para a secretária de Saúde, Eliana Honain, trata-se de “um dia especial” por “atender as demandas daqueles que mais precisam”.
Adriana Biazolo, vice-presidente do COMDEF (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência), parabenizou a Prefeitura por “sempre ouvir as pessoas com deficiência” e destacou que é fundamental ouvir as pessoas.
No mesmo evento, o CAT (Consórcio Araraquara de Transportes) anunciou que irá oferecer cursos de Libras (Língua Brasileira de Sinais) aos seus funcionários. “Uma das grandes demandas é a falta de pessoas capacitadas para dar informações de transportes aos deficientes auditivos”, disse o gerente do CAT, Carlos Aureliano.
Também estiveram no evento o vereador Roger Mendes (Progressistas), as secretárias Juliana Agatte (Planejamento e Participação Popular) e Priscila Luiz (Comunicação), o gerente de Reabilitação, Luiz Armando Garlippe, além de coordenadores municipais e integrantes da comissão de estudos

Comentários