Egressos podem ter mais oportunidade de emprego e renda







A iniciativa da vereadora Thainara Faria visa à reinserção destes na sociedade

 

Na tarde da sexta-feira (20), a vereadora Thainara Faria (PT) esteve reunida com os secretários municipais, Damiano Neto (Trabalho e do Desenvolvimento Econômico) e Donizete Simioni (Gestão e Finanças), e o coordenador municipal de Negócios Jurídicos, Ernesto Esteves, para tratar sobre projeto que visa à ressocialização de egressos.

Para a parlamentar, hoje o maior problema enfrentado pela pessoa que passou pelo sistema presidiário é a falta de oportunidades. Nesse sentido, ela pretende elaborar uma propositura, junto à Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania, para garantir que as empresas prestadoras de serviços do Executivo tenham ao menos 5% do quadro de funcionários compostos por egressos.

Thainara acredita que a oportunidade de emprego e renda a essas pessoas é capaz de minar as possibilidades de reincidência no crime e, em longo prazo, trazer melhorias para a segurança dos cidadãos araraquarenses. “Quem já teve alguma passagem pelo crime, conhece os mecanismos para retomá-lo. Quando faltam oportunidades, ele passa ser a única saída”, reiterou a vereadora.

De acordo com a diretora regional da Central de Atenção ao Egresso e Família (CAEF), Juliana Catto, a maioria das empresas não tem interesse em contratar egressos, porém quando a contratação é efetivada, raramente algum transtorno é notificado. “No trabalho desenvolvido pelo CAEF, acompanhamos o egresso antes e depois da contratação. A finalidade é de prepará-los e orientá-los antes que ingressem no mercado. Porém, ainda encontramos muitos profissionais competentes que permanecem desempregados, devido aos erros que cometeram no passado. É importante não nos esquecermos de que essas pessoas já cumpriram pena, determinada pela lei, por seus crimes e não devem ser novamente punidas”, explicou.

Impacto nas contas do município

Com o intuito de dialogar de forma efetiva com o poder executivo acerca do tema, a vereadora, acompanhada de representantes da CAEF, apresentou a ideia aos responsáveis pelas contas públicas, pelo desenvolvimento econômico e pela legislação municipal. A recepção do projeto foi positiva, mas ainda será feita a avaliação legal e orçamentária. A expectativa é de que, após a resposta do Executivo, o projeto seja votado na Casa de Leis.

Comentários