Em artigo ao ‘New York Times’, Lula critica Moro:’Ele se tornou intocável’




O jornal The New York Times publicou nesta terça 14 um artigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em que ele defende sua candidatura a presidente nas eleições de 2018 e diz que ‘o tempo corre contra a democracia’ — nesta quarta, o PT vai oficializar no Tribunal Superior Eleitoral o registro de candidatura do petista, condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.
O título do artigo em inglês diz que “Há um golpe de direta em curso no Brasil” (na versão em português e espanhol o título é “Quero democracia, não impunidade”). O PT preparou um ato nesta quarta-feira (15) para marcar o registro de candidatura na Justiça eleitoral sob o risco de tê-la negada em razão do enquadramento de Lula na Lei da Ficha Limpa, que considera inelegíveis pessoas condenadas em segunda instância. O plano B do partido é substituir o líder petista pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e ter como vice a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB).
“Eu não peço para estar acima da lei, mas um julgamento deve ser justo e imparcial. Essas forças de direita me condenaram, me prenderam, ignoraram a esmagadora evidência de minha inocência e me negaram habeas corpus apenas para tentar me impedir de concorrer à Presidência. Eu peço respeito pela democracia. Se eles querem me derrotar de verdade, façam nas eleições. Segundo a Constituição brasileira, o poder vem do povo, que elege seus representantes. Então deixe o povo brasileiro decidir”, diz o texto, escrito da prisão pelo petista.
O jornal The New York Times publicou nesta terça 14 um artigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em que ele defende sua candidatura a presidente nas eleições de 2018 e diz que ‘o tempo corre contra a democracia’ — nesta quarta, o PT vai oficializar no Tribunal Superior Eleitoral o registro de candidatura do petista, condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.
O título do artigo em inglês diz que “Há um golpe de direta em curso no Brasil” (na versão em português e espanhol o título é “Quero democracia, não impunidade”). O PT preparou um ato nesta quarta-feira (15) para marcar o registro de candidatura na Justiça eleitoral sob o risco de tê-la negada em razão do enquadramento de Lula na Lei da Ficha Limpa, que considera inelegíveis pessoas condenadas em segunda instância. O plano B do partido é substituir o líder petista pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e ter como vice a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB).
“Eu não peço para estar acima da lei, mas um julgamento deve ser justo e imparcial. Essas forças de direita me condenaram, me prenderam, ignoraram a esmagadora evidência de minha inocência e me negaram habeas corpus apenas para tentar me impedir de concorrer à Presidência. Eu peço respeito pela democracia. Se eles querem me derrotar de verdade, façam nas eleições. Segundo a Constituição brasileira, o poder vem do povo, que elege seus representantes. Então deixe o povo brasileiro decidir”, diz o texto, escrito da prisão pelo petista.

Fonte: Veja

Comentários