Família de homem morto desmente depoimento da esposa.



Familiares de Willian Rodrigo Ferreira, de 31 anos desmentem o depoimento da esposa do mesmo e relata que ele não usou nenhum facão, e que a mulher não tinha sinais algum de violência praticada pelo Willian.

A reportagem do Araraquara24horas, conversou com a família e vizinhos e relataram que Willian estava nervoso devido ao filho da sua esposa que ele criava ter chegado tarde no apartamento, e diante da criança ter chegado tarde Willian foi tirar satisfação com o menor, onde esposa teria defendido o menor e gerado uma grande confusão.

Vizinhos também relataram que a Polícia Militar não foi acionada por ninguém, que a polícia estava pela região dos predinhos desde da manhã de domingo, e que durante a confusão a mulher notou a presença da viatura e foi pedir por ''socorro''. Os vizinhos do apartamento também informaram que não viram nenhum facão, e quem duvidam que Willian teriam ameaçado os próprios filhos. Também informaram que a esposa deu diversos tapas no rosto de Willian e que ele tinha arranhões no rosto ocasionado por ela, mas que ele não teria batido nela e sim tentando se defender dos golpes que ela dava contra ele.

A família relatou que vai pedir judicialmente acompanhamento, e que laudos do IML devem comprovar que a mulher não tinha sinais de violência como ela relatou em depoimentos dado a jornais locais. Uma prima de Willian também informou que no rosto dele é visível arranhões, que até o momento não conseguiu entender o motivo da morte do seu primo.

O portal também questionou alguns moradores locais sobre Willian ter tentando desarmar o PM que atirou, mas todos afirmaram não ter visto nada disso e que Willian nunca teve problemas com a justiça, e nem com a polícia que frequentava sempre o local. A família disse que já estão providenciando todas explicações judicialmente, e que querem justiça sobre o caso.

A reportagem não conseguiu conversar com a esposa de Willian, e nem saber a versão apresentada pela Polícia Militar, pois nenhuma nota oficial do batalhão foi emitida até o momento. Também não tivemos acesso ao exame do IML feito pela esposa.




ENTENDA TODA A SITUAÇÃO.





A morte de Willian Rodrigo Ferreira, de 31 anos gerou muita revolta no local onde ele morava e muita comoção na internet.

Willian morreu ao dar entrada na Santa Casa de Araraquara, após ser atingido por três tiros disparados por um policial militar durante uma confusão entre briga de marido e mulher, no conjunto habitacional do Jardim Iguatemi em Araraquara.

A Polícia Militar foi acionada através do 190 para atender uma chamada de violência doméstica. No local Willian estava muito nervoso e brigando com a esposa. O polícia teria tentando conter o rapaz, e isso gerou mais revolta e iniciou uma luta corporal, onde o PM acabou efetuando três disparos contra o homem;

Familiares e amigos da esposa de Willian, relataram que a mulher foi agredida pelo marido, e que o mesmo tinha bebido durante o final de semana então ele estaria muito descontrolado. Então, diante dos fatos a mulher teria ido até a entrada do prédio, onde uma viatura já acionada por terceiros estava chegando no local. A mulher contou aos Pms o que aconteceu e eles foram até o local, e nisso uma grande confusão ocorreu, e infelizmente o homem acabou sendo baleado.

A U.S.A (Unidade do Suporte Avançado), foi acionada e fez todos procedimentos necessários até entubação do rapaz, mas ao dar entrada na Santa Casa ele não resistiu e entrou em óbito.

'' Ele era uma pessoa boa e trabalhadora. Nunca ouvimos nada referente à briga, isso foi algo fora do normal e não era para ter acontecido a forma que aconteceu'' Relatou Cirlene.

'' Ele criava três crianças, nunca brigou nem se envolveu com nada errado pois era um homem trabalhado'' Relatou Robson


REVOLTA.

No prédio onde aconteceu os fatos, uma grande revolta iniciou e os moradores começaram a gritar e pedir por justiça. A Polícia pediu reforços e teve que usar bombas e balas de borrachas.

Após a saída dos polícias populares colocam fogos em sofás e colchões em forma de manifestação.

Comentários