MDB polariza eleições em SP e ameaça hegemonia tucana




Há mais de duas décadas instalado no governo paulista, o PSDB de João Doriatem, por ora, sua hegemonia ameaçada por um partido ao qual já esteve aliado no estado: o MDB de Paulo Skaf.
Em 2010, as duas agremiações — que recentemente estiveram lado a lado no governo Temer — integraram a mesma chapa nas eleições vencidas pelo tucano Geraldo Alckmin.
Desde então, voltaram a ser adversários no estado e, agora, oito anos após a aliança, os dois partidos têm seus candidatos tecnicamente empatados em primeiro lugar na corrida ao Palácio dos Bandeirantes, segundo a última pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira (3).
Primeiro colocado no levantamento, com 22% das preferências, o presidente licenciado da Fiesp Paulo Skaf (MDB) tenta recolocar a legenda no cargo do qual está afastado há 28 anos. O último governador emedebista a ocupar a cadeira do Executivo paulista antes dos tucanos foi justamente um político do PMDB, Luiz Antônio Fleury Filho, eleito em 1990.
Em segundo lugar, com 21% das intenções de voto na pesquisa Ibope, o ex-prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) busca manter seu partido no poder, numa sucessão de vitórias que já dura 24 anos. Desde 1994, foram eleitos Mário Covas (duas vezes, em 1994 e 1998), Geraldo Alckmin (três vezes, em 2002, 2010 e 2014) e José Serra (em 2006).
Doria, porém, tem alguns obstáculos pela frente: possui a maior rejeição a um candidato a governador em São Paulo — 33%, contra 24% de Skaf, ainda segundo a última pesquisa Ibope.
O ex-prefeito da capital paulista também derrapa na má avaliação ao seu governo municipal. Ele foi reprovado por 47% dos paulistanos, de acordo com o último levantamento Datafolha, de abril deste ano. Apenas 18% aprovaram sua administração, e 34% a avaliaram como regular.
Nessa disputa, por enquanto polarizada entre PSDB e MDB, outros dez partidos já apresentaram candidatos. O registro das candidaturas vai até 15 de agosto, mas a maioria das legendas já definiu seus nomes.
O ex-prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho (PT) e o atual governador de São Paulo e candidato à reeleição, Márcio França (PSB), estão confirmados na disputa e aparecem empatados em terceiro lugar na pesquisa Ibope, com 3% cada um.

Alckmin em dois palanques

Vice de Alckmin no governo paulista, França tem declarado fidelidade ao tucano e discute se irá mostrá-lo ou não durante a campanha. O atual governador busca se tornar mais conhecido e trava uma disputa contra Doria para tentar disputar o segundo turno com Skaf. Eles têm trocado críticas abertamente.
Os outros candidatos ao governo de São Paulo são Rodrigo Tavares (PRTB), Lisete Arelaro (PSOL), Toninho Ferreira (PSTU), Cláudio Fernando (PMN), Rogerio Chequer (Novo), Marcelo Cândido (PDT), Edson Dorta (PCO) e Adriano Costa (DC).
Pesquisa Ibope realizada entre 29 de julho e 1° de agosto
Paulo Skaf – 22%
João Doria – 21%
Luiz Marinho – 3%
Márcio França – 3%
Rodrigo Tavares – 2%
Lisete Arelaro – 2%
Toninho Ferreira – 2%
Claudio Fernando – 1%
Rogerio Chequer – 1%
Branco/nulo – 32%
Não sabe/não respondeu – 11%
Confira os candidatos ao governo de São Paulo:
João Doria Jr. (PSDB), empresário e ex-prefeito de São Paulo
Vice: Rodrigo Garcia (DEM)
Coligação: PSDB, PSD, DEM, PRB, PP e PTC
Paulo Skaf (MDB), presidente licenciado da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo)
Vice: Carla Danielle Basson (MDB)
Luiz Marinho (PT), ex-prefeito de São Bernardo do Campo
Vice: Ana Mercês Bahia Bock (PT)
Coligação: PT, PC do B
Márcio França (PSB), governador de São Paulo e candidato à reeleição
Vice: Eliane Nikoluk (PR)
Coligação: PSB, PR, PV, SD, PROS, PSC, PPL, PPS, PHS, PRP, PMB, Podemos, PTB e Patriota
Marcelo Cândido (PDT), ex-prefeito de Suzano
Vice: Gleides Sodré (PDT)
Rodrigo Tavares (PRTB), advogado
Vice: Jairo Glikson (PRTB)
Lisete Arelaro (PSOL), professora da Faculdade de Educação da USP
Vice: Maurício Costa (PSOL)
Coligação: PSOL, PCB
Rogério Chequer (Novo), engenheiro e ex-líder do Vem Pra Rua
Vice: Andrea Menezes (Novo)
Adriano Costa e Silva (DC), major do Exército
Vice: Humberto Alencar (DC)
Cláudio Fernando Aguiar (PMN), professor de economia
Vice: Roberto Campos (Rede)
Edson Dorta (PCO), ex-secretário-geral da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios
Vice: Lilian Miranda (PCO)
Toninho Ferreira (PSTU), dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos
Vice: Ariana Matos Gonçalves (PSTU)

Fonte: Veaja

Comentários