“O COP garante transparência”, afirma Edinho na posse dos conselheiros





Novos integrantes do Conselho do Orçamento Participativo assumiram a função na segunda-feira (30)

Um aprendizado. É assim que Keila Maia Moisés, de 35 anos, descreve a oportunidade de integrar o COP (Conselho do Orçamento Participativo). Ela foi eleita na plenária temática de Mulheres e, assim como os outros 70 novos conselheiros, tomou posse na noite de segunda (30), na sede da 5ª Subseção de Araraquara da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

“Essa expectativa de participar do COP, para mim, está sendo de grande importância. A gente está podendo ver os dois lados, fazer essa comunicação entre a população e a Prefeitura. É uma grande responsabilidade também. Como conselheira, a gente vai ver a necessidade dos bairros e chegar na Prefeitura para cobrar que as obras sejam feitas. Para mim, é um aprendizado”, disse Keila.

O prefeito Edinho destacou o papel do COP. “Ele permite que a população acompanhe, com seus representantes, como o Orçamento será executado, desde o projeto das obras, a licitação e até a construção. Isso garante transparência e leva o conhecimento do funcionamento do poder público aos conselheiros e, por extensão, para a população”, afirmou.

“Sem o COP, o OP vira ‘de fachada’. A população precisa ter voz e precisa acompanhar a situação da execução das prioridades. Acredito muito no Orçamento Participativo como um instrumento de gestão e democratização do poder”, concluiu o prefeito.

O coordenador de Participação Popular, Alcindo Sabino, destacou que os conselheiros do COP irão analisar toda a peça orçamentária da Prefeitura e apresentou um cronograma com as próximas ações, que incluem a “Caravana Solidária” e as reuniões de elaboração da LOA (Lei Orçamentária Anual).

“Neste final de semana, vamos fazer uma grande caravana pela cidade, quando a gente vai levar todos para conhecerem as obras e programas que a população escolheu nas plenárias. A partir daí, a gente entra na discussão do Orçamento. O que vai ter de recursos para cada obra”, afirmou Alcindo.

Uma novidade neste ano é a realização de um curso para os integrantes do COP. “A gente vai oferecer, em setembro, um curso de formação. A gente queria ter feito no ano passado, mas não conseguiu agenda. O curso será não só para o COP, mas vamos estender também para outros conselhos municipais”, revela.

A presidente atual do COP (antes da eleição entre os novos conselheiros), Patrícia Ferreira, agradeceu a todos da Prefeitura e do Conselho pela experiência. “Não desistam do Orçamento Participativo. O OP é verdadeiro e deu oportunidade para bairros afastados terem voz. Que o OP seja lei e nunca acabe em Araraquara. Nós não podemos ser calados”, reforçou.

Representando a Câmara Municipal, o vereador Toninho do Mel (PT) destacou que a população pedia pela volta do OP. “Eu ouvia o clamor do povo nas ruas. Com o OP, quem manda na cidade é o povo. O OP não pode acabar, pois é uma grande vitória para Araraquara”, disse.

Ainda estiveram presentes na posse o vereador Paulo Landim (PT), o secretário interino de Planejamento e Participação Popular, Adriano Altieri; a secretária da Educação, Clélia Mara dos Santos; e toda a equipe do OP.

Comentários