PF conclui inquérito sobre a queda de avião de Eduardo Campos



Quase quatro anos depois, a PF (Polícia Federal) finalizou e apresentou ao MPF (Ministério Público Federal), nesta segunda-feira (6), o relatório final que investigou as causas da queda do avião que matou o então candidato à Presidência da República Eduardo Campos e seus assessores.
A PF informou que o inquérito está sob sigilo judicial.
De acordo com a jornalista Andreza Matais, da Coluna do Estadão, nesta segunda, a família de Campos será informada sobre as conclusões da investigação. O encontro ocorrerá em Recife. Já na terça-feira (7), os familiares do piloto serão informados, em uma reunião em São Paulo.
Ainda segundo a coluna, o relatório não aponta uma causa especifica, mas, por ser bem detalhado, servirá de base paras as próximas investigações.

Acidente

O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos morreu em um acidente de avião em 13 de agosto de 2014.
À época, Campos era candidato pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro) à Presidência da República.
Ele embarcou em um jato Cessna 560XL do Rio de Janeiro com destino ao Guarujá, no litoral paulista. O motivo da viagem era o cumprimento da agenda de campanha.
Além do candidato, morreram no acidente outras seis pessoas: os assessores Pedro Valadares e Carlos Percol, o fotógrafo Alexandre Severo, o cinegrafista Marcelo Lira e mais dois pilotos.
A queda ocorreu quando o avião arremeteu no momento do pouso.

Veja imagens inéditas da destruição causada pelo acidente de Eduardo Campos


Fonte: R7

Comentários