Turista brasileira perde o rim em acidente de trem em Machu Picchu




Uma brasileira que estava em um dos trens que colidiram em Machu Picchu precisou ter seu rim retirado por conta do acidente. Segundo o Portal do Turismo, administrado pela Câmara Nacional de Turismo do Peru, a mulher é Elgita Aparecida Diniz e tem cerca de 50 anos.
O médico Alcides Vargas, que operou Elgita em uma clínica em Cusco, explicou o impacto repentino causou a "explosão completa do rim" da brasileira.

O órgão precisou ser retirado para evitar uma hemorragia interna. Elgita deve seguir internada na UTI por pelo menos mais dois dias, segundo a previsão de Vargas. Depois disso ela já estará apta a voltar para o Brasil.
Elgita Diniz é enfermeira e trabalha na UFRJ.
Em nota, o Itamaraty informou que "está acompanhando a situação dos brasileiros envolvidos no acidente, dando o apoio necessário", mas que não pode comentar o estado de saúde dos feridos por se tratar de "informações de cunho pessoal".
Os maquinistas que conduziam os dois trens foram detidos para investigações. Eles são acusados de lesões culposas.
O acidente deixou pelo menos 35 pessoas feridas de diversos países, como EUA, Canadá, Holanda, México e França.
Cerca de 14 ainda seguem internados. São seis coreanos, dois peruanos, um chileno, um mexicano, um canadense, um mexicano e um americano.
A brasileira é a única que está na UTI. No entanto, o turista chileno sofreu uma fratura exposta na perna. Ele passou por uma cirurgia e seu caso também é considerado grave.

Fonte: R7

Comentários