Assassino de mestre de capoeira nega que apoia Bolsonaro e desmente narrativa da mídia


O assassino confesso do mestre de capoeira Moa do Katendê, o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, desmentiu a narrativa da mídia que imputou motivação política ao crime.
Segundo Paulo, a confusão teria começado quando o mestre de capoeira chamou-o de “viadinho negro” no meio de uma conversa de Paulo com o dono do bar onde estavam. Paulo negou que seja eleitor do candidato Jair Bolsonaro (PSL) e que a motivação do crime tenha sido política.
Fonte
A polícia segue investigando o caso. A Caneta torce para que o assassino seja condenado e preso por 30 anos pelo crime.

Fonte:http://www.caneta.org

Comentários