‘Amigo particular’ de Bolsonaro é indicado gerente na Petrobras



Um capitão-tenente da reserva da Marinha classificado como "amigo particular" do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi

indicado, nessa quinta-feira (10/1), para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras. Carlos Victor Guerra Nagem é funcionário da estatal há 11 anos e atualmente trabalha em Curitiba. 

Desde que ingressou na Petrobras, Nagem se licenciou em duas ocasiões, para disputar as eleições de 2002 e de 2016, usando a alcunha de Capitão Victor e filiado ao PSC (partido que Bolsonaro integrou e pelo qual o atual presidente foi eleito deputado federal em 2014). 

Na primeira, Capitão Victor tentou se eleger deputado federal pelo Paraná; na segunda disputou uma cadeira de vereador em Curitiba. Nas duas foi derrotado. Em 2016, Bolsonaro gravou um vídeo em que pede votos para o candidato que classificou como "meu amigo particular": "É um homem, um cidadão que conheço há quase 30 anos. Um homem de respeito, que vai estar à disposição de vocês na Câmara lutando pelos valores familiares. E quem sabe no futuro tendo mais uma opção para nos acompanhar até Brasília", afirma o atual presidente no vídeo de 2016. "Todos nós ganharemos", continua Bolsonaro. 

Na campanha, um dos slogans do Capitão Victor afirma que "Bolsonaro (o) indicou".

Experiência


Em nota, a Petrobras confirmou a indicação e afirmou que o nome ainda "será submetido aos procedimentos internos de governança corporativa". Segundo a estatal, Nagem é graduado em Administração pela Escola Naval e há seis anos atua na área de Segurança Corporativa da Petrobras. A empresa afirma ainda que o indicado possui mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem dez anos de experiência como professor no ensino superior.

Na quinta, às 23h, Bolsonaro divulgou no Twitter a indicação. "A seguir, o currículo do novo gerente executivo de Inteligência e Segurança da Petrobras, mesmo que muitos não gostem, estamos no caminho certo", escreveu no post. 



De acordo com o site O Antagonista, o anúncio foi feito por videoconferência para os funcionários na quinta. O salário dele na empresa, segundo o site, passará de R$ 15 mil mensais para mais de R$ 50 mil.

Capitão Victor vai substituir Regina de Luca, indicada pelo ex-presidente da Petrobrás Pedro Parente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

Comentários