PADRE DO ''SHOW'' É LIBERADO EM AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA







O padre Edson Maurício foi detido após ser flagrado dirigindo embriagado na cidade de São Carlos. Ele foi encaminhado para o Plantão Policial, onde o delegado arbitrou uma fiança de R$ 5000, mas ele não pagou e foi preso.

Ele foi solto na manhã desta quinta-feira (03), após passar por audiência de custódia.



ENTENDA O OCORRIDO.

Através de nota oficial, assinada pelo assessor de imprensa e comunicação da Diocese de São Carlos, padre Robson Caramano, o pároco Edson Maurício, 51 anos, detido na noite desta quarta-feira, 2, acusado de dirigir embriagado na região do Kartódromo Municipal, já havia sido suspenso preventivamente pela Diocese de São Carlos em 22 de fevereiro de 2018 por se envolver em um caso que terminou na morte do sargento da Polícia Militar, Paulo Sergio de Arruda, em Matão.


Ele foi afastado de suas funções, mas ainda permanece consagrado como padre.
Na nota, a assessoria de imprensa informa que “em defesa da vida e do bem estar comum, a Diocese de São Carlos é contrária a embriaguez ao volante, e defende o interesse geral de proibir atos desta natureza”.
A NOTA
Abaixo, segue a íntegra da nota oficial fornecida pela Diocese de São Carlos na manhã desta quinta-feira, 3:
“Tendo em vista o ocorrido acerca do Padre Edson Maurício, na noite desta quarta-feira, 2, envolvendo o consumo de bebida alcoólica e a condução de veículo, esta assessoria vem a público esclarecer:
“O sacerdote já se encontra suspenso preventivamente do seu ofício sacerdotal. Esta suspenção reflete a privação preventiva total do uso de ordens do referido padre conforme deliberado por decreto do Exmo. Rvmo. Senhor Bispo Diocesano, Dom Paulo Cezar Costa, desde 22 de fevereiro de 2018 em conformidade com o Cân. 1722 do Código de Direito Canônico.
“Em defesa da vida e do bem estar comum, a Diocese de São Carlos é contrária a embriaguez ao volante, e defende o interesse geral de proibir atos desta natureza, respeitando qualquer procedimento e apoiando as autoridades públicas, civis e militares, afim de fiscalizar e coibir situações análogas”.


Fonte: São Carlos Agora




Comentários