Produtos químicos são encontrados em casa abandonada










Prefeito e Vigilância Epidemiológica verificam denúncia em imóvel abandonado

Antiga fábrica de produtos químicos, no Jardim Imperador, não possui criadouros do mosquito da dengue, mas apresenta risco à saúde; Prefeitura irá tomar as medidas necessárias
foto02 Prefeito Edinho e agentes da Vigilância vistoriam imóvel abandonado no Jardim Imperador 13mr19 Tetê Viviani.jpg


O prefeito Edinho e a equipe da Vigilância Epidemiológica vistoriaram um imóvel abandonado na Rua Marechal Artur da Costa e Silva, no Jardim Imperador, na manhã desta quarta-feira (13), após denúncias enviadas por moradores e veículos de imprensa sobre possíveis criadouros do mosquito da dengue.

Não foram constatados criadouros, mas diversos produtos químicos e que oferecem risco à saúde foram encontrados. O imóvel é de propriedade da Indústria Química Guarapiranga e está abandonado. Multas foram expedidas pela Prefeitura desde 2011 por descumprimento ao Código de Posturas do Município. Não existe nenhuma responsabilidade da Prefeitura de Araraquara sobre o imóvel e os produtos lá encontrados.


“Esse imóvel vem sendo autuado há vários anos. Ou ele servia para fabricação de produtos químicos ou para armazenamento desses produtos. É um ambiente ácido, que irrita a pele e os olhos. É uma situação nociva à saúde”, disse Edinho.

O prefeito informou que a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e o Ministério Público serão notificados. Além disso, o imóvel deverá ser enquadrado no Instituto do Abandono, como já está sendo feito em outros locais da cidade. Também presente na ação, o Corpo de Bombeiros lacrou o espaço.

Terreno sujo novamente

Depois da vistoria no Jardim Imperador, Edinho e a Vigilância foram checar outra denúncia: a de que um local no final da Rua Maurício Galli, no Jardim São Rafael, estaria acumulando lixo despejado por moradores. 

A denúncia se confirmou: o local, que foi limpo na última sexta-feira (8) e fica às margens do Córrego do Serralhal, já estava sujo novamente com madeiras, embalagens plásticas, garrafas, lixo domiciliar e entulho.

“Estão incentivando criadouros do mosquito Aedes aegypti ao lado do Lar Nossa Senhora das Mercês, um estabelecimento educacional. A Prefeitura limpou. Fizemos a nossa parte, mas o lixo está novamente despejado. Sem a consciência dos moradores, é praticamente impossível nós combatermos a dengue. Quando alguém ver esse despejo de lixo sendo feito, fotografe e mande para a gente, para que a Prefeitura autue, multe e, se for o caso, prender a pessoa em flagrante”, pediu Edinho.

Em dados atualizados pela Vigilância Epidemiológica na segunda-feira (11), foram contabilizados 2.790 casos de dengue em Araraquara desde o início do ano. Três pessoas morreram em decorrência da doença e outras quatro mortes são investigadas.

Comentários