PM e esposa são presos por envolvimento com exploração sexual em São Carlos





Policiais militares da corregedoria prenderam na tarde desta quarta-feira (10) um cabo da corporação, acusado de contribuir para o funcionamento de uma casa de prostituição, na avenida Comendador Alfredo Maffei, no Centro de São Carlos. A esposa dele, que gerenciava a casa, também foi presa.
Em posse do mandado de prisão, os policiais foram até o Jardim De Cresci, onde o casal foi encontrado.
O cabo M.A.P.J., de 33 anos, trabalha na 4ª companhia da PM, em Porto Ferreira. Ele foi conduzido até a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e indiciado no artigo 229, do código penal brasileiro (manter, por conta própria ou de terceiro, estabelecimento em que ocorra exploração sexual, haja, ou não, intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente: Pena – reclusão, de dois a cinco anos, e multa).
A Delegada Denise Gobbi Szakal ouviu todas as mulheres residentes na casa e após a confirmação que elas estavam sendo exploradas para a prostituição sexual e que o local servia para a realização de programas, o Departamento de Fiscalização da Prefeitura Municipal foi acionado e interditou o estabelecimento pela ausência de alvará de licença, auto de vistoria do Corpo de Bombeiros e a licença da Vigilância Sanitária.
No final da tarde o policial militar foi conduzido ao presídio militar Romão Gomes na capital e a mulher encaminhada ao Centro de Triagem.
“REUNIÃO DO CRIME’
No dia 30 de março do ano passado, policiais militares do pelotão de Força Tática e do comando de atividade delegada surpreenderam onze pessoas na mesma casa. Eles seriam ligados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e estavam participando de uma suposta “reunião do crime”.
Com um rapaz de 26 anos, que mora em Rio Claro, os PMs encontraram um revólver calibre 38 com seis munições.
Os detidos negaram e disseram que estavam ali participando de um churrasco.

Fonte: São Carlos Agora 

Comentários