Jovem de 22 anos morre em São Carlos; família suspeita de negligência médica




Os sonhos do jovem Leonardo Rayner Mendonça, dos Santos, de 22 anos, casado recentemente, foram interrompidos nesta madrugada. Ele passou mal na Santa Casa e a família suspeita de negligência médica.
O São Carlos Agora conversou com sogra dele, Suely Godoy. Ela explicou que há 40 dias aproximadamente, Leonardo machucou tornozelo jogando futebol. Desde então começou uma saga em busca de atendimento médico. Ele foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na Vila Prado, onde o médico teria diagnosticado uma luxação e o liberou.
Dias depois, sentindo muitas dores, ele foi novamente levado até a unidade onde foi constatada a fratura, sendo encaminhado à Santa Casa.
Realizado raio-x, na Santa Casa, teria o ortopedista tido que não havia fratura, embora estivesse estranho o quadro, por isso imobilizou o local com tala, que deveria ser usada por 12 dias. 
As dores não cessaram e Leonardo foi levado novamente ao pronto socorro da Santa Casa, onde um novo exame de raio-x foi feito e médica ortopedista que o atendeu teria dito que havia uma trinca na canela e uma fratura em um osso do tornozelo, o que teria causado uma lesão óssea. Na oportunidade a médica informou que faria a imobilização com gesso até o dia 26 de maio, quando o jovem teria que se submeter a um novo raio-x, inclusive com possibilidade de cirurgia. 
No dia 27 do mês passado, Leonardo foi novamente levado ao pronto socorro da Santa Casa, pois o gesso estava se deteriorando. Nesta ocasião houve uma discussão dos familiares com o médico que havia inicialmente imobilizado o local com tala, pois ele teria se recusado a mandar reparar o gesso. A Polícia Militar foi acionada e um boletim de ocorrência foi registrado. O gesso foi consertado por um profissional.
Passado mais alguns dias Leonardo foi atendido na UPA do Santa Felícia com suspeita de pneumonia, realizando o tratamento indicado.
Na noite desta quinta-feira (6) ele chegou da igreja e começou a passar mal, vomitando, com dores no peito e falta de ar. Levado novamente à UPA da Vila Prado, passou por exames de eletrocardiograma e encaminhado à Santa Casa para ser avaliado por um cardiologista. 
Já no início da madrugada Leonardo foi submetido a exames de eletrocardiograma que apresentaram alterações e segundo a sogra, foram aplicadas duas injeções.
“Depois disso ele começou a vomitar, a sentir falta de ar e foi colocado em uma maca, onde morreu às 2h50”, disse Suely. Ainda segunda ela, a família acredita em negligência médica e que Leonardo possa ter tido uma embolia pulmonar devido ao ferimento no pé.
O corpo foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) em Américo Brasiliense.
O jovem havia se casado em janeiro e além da esposa deixa uma filha de 3 anos de outro relacionamento. O velório está marcado para começar às 17h e o enterro às 9h deste sábado (8), no cemitério Nossa Senhora do Carmo.
Desabafo no Whatsapp
Leonardo com o pé a perna engessados.
No dia 27 do mês passado, em um dos atendimentos na Santa Casa, Suely relatou através do Whatsapp do São Carlos Agora o drama que estava vivendo com o genro. "Boa tarde meu nome é Sueli, estive na Santa Casa hoje pela manhã para passar meu genro, pois ele precisa trocar o gesso, que estava trincado e o médico se negou a atender, maltratando eu e minha filha. Tivemos que chamar a polícia para fazer um boletim. Nem cadeira de rodas forneceram para o meu genro. Estou indignada com a Santa Casa, pois este médico teria atendido meu genro há uns 20 dias atrás e disse que não tinha acontecido nada. Com muita dor e alguns dias depois ele retornou à Santa Casa, onde outra médica o atendeu e viu a quebradeira. Se não fosse está médica meu genro estaria com o tornozelo quebrado até agora"
Nota da Santa Casa
A Santa Casa de São Carlos lamenta o ocorrido e externa os sinceros sentimentos à família.
Diante do caso do paciente Leonardo Rayner Mendonça dos Santos, a Santa Casa abrirá sindicância para apurar os fatos e tomara as medidas necessárias, após consolidar as informações.
 
O Secretário de Saúde, Marcos Palermo, disse que uma sindicância será aberta para apurar o caso.












Fonte: São Carlos Agora

Comentários