Após campanha, família de recicladores ganha casa e população de São Carlos superlota barraco de alimentos













Mais de 9 mil compartilhamentos e muita comoção, carinho e solidariedade. A campanha iniciada pelo São Carlos Agora na tarde de quarta-feira, 17, quando o casal de recicladores Larissa Alvim Menezes, 20 anos, seu marido Carlos Alexandre Bernardino, 26 anos e sua filha Lohane Vitória, 6 anos pediam ajuda pois passavam frio e fome, ganhou tamanha repercussão que terminaram o dia com o barraco onde residem no Cidade Aracy II abarrotado de alimentos, roupas e cobertores. Mas a cereja do bolo é que ganharam até uma casa de alvenaria através de uma iniciativa de um universitário de engenharia e aproximadamente 80 parceiros.

Assim, Papai Noel chegou com cinco meses de antecedência para o humilde lar. Um presente que causou profunda emoção em Larissa, Carlos Alexandre, que possui uma doença rara no sangue que ocasiona feridas em seu corpo e para a pequena Lohane, apaixonada por bolachas e que teve o pedido atendido.
Ivan Pinheiro, gerente de expedição, relutou em falar sobre a iniciativa em dar a casa de presente para o casal de recicladores. “Faço isso por amor ao próximo”, disse. “Ontem (quarta) fui até onde eles moram e o local é triste. O frio era intenso e senti na pele o sofrimento. Temos que dar valor para o que conseguimos e sempre que possível, ajudar quem necessitar. É triste ver a realidade que o casal vive, mas fiquei muito feliz em ver que o brasileiro tem coração e dignidade. Eles são humildes e trabalhadores e tiveram muito carinho. Enquanto estávamos lá, a toda hora chegava doação. Esta reportagem sensibilizou as pessoas e os são-carlenses deram exemplo de solidariedade”, afirmou Ivan. “Eles me disseram ainda que muitas famílias vizinhas passam necessidades e dividirão as doações”, emendou.
Ivan salientou ainda que sua participação na campanha não terminou e que nesta quinta-feira, 18, retorna até a casa de Larissa e Carlos para levar produtos de higiene pessoal e roupas íntimas.
MÃO NA MASSA
Não era trenó e muito menos renas. Mas um carro e quatro rodas. Não era Papai Noel. Mas era jovem com barba farta. Ivan chegou até a residência de recicladores com cestas básicas, além de bolachas e iogurte para presentear a pequena Lohane.
Mas o grande presente ainda era a novidade a ser revelada. “Quando dissemos que iriamos dar a casa de presente, a emoção foi enorme. Nossa e deles”, afirmou, salientando que será construído um quarto, banheiro, cozinha e sala em um terreno na casa da mãe de Larissa, no Antenor Garcia.
“O terreno ali tem 10 x 25 metros e com a ajuda de um mestre de obras vamos fazer um projeto e as obras começam na próxima semana. Em um mês e meio, acredito, terão uma casa em alvenaria e sairão deste local. Frio não irão passar mais”, garantiu Ivan.
Segundo ele, aproximadamente 80 parceiros estão envolvidos nesta corrente do bem e será feito em sistema de mutirão. “Já consegui blocos, telhas, janelas, portas, estrutura metálica e mão de obra. Eles terão a sonhada casa”, prometeu. “As pessoas que também quiserem contribuir para esse projeto entrar em contato comigo (Whats 16 97400-6538). Necessitamos da parte hidráulica, cimento e piso frio que são coisas básicas”, afirmou.
SÃO CARLOS AQUECEU RECICLADORES
No portal do SCA, mais de 9 mil compartilhamentos. Na página do Facebook, 1,1 mil curtidas, outros 1,2 mil compartilhamentos, além de 270 comentários.
Literalmente São Carlos e região abraçaram Larissa, Carlos e a filha Lohane, proporcionando carinho, amor e aqueceu o frio que sentiam.
Foram dezenas de cestas básicas, centenas de peças de vestuários, além de cobertores.
Dois botijões de gás, frutas, verduras, iogurte e muitas bolachas para a pequena criança.
Larissa não se conteve de tanta felicidade, bem como Carlos e no final agradeceram. “Não tenho palavras. Me emociono só em sentir esse carinho. Agradeço primeiro a Deus por esta oportunidade. Saber que os são-carlenses são tão amáveis e generosos. Agradeço de coração. Por fim, ao São Carlos Agora me atendeu meu pedido e iniciou a campanha”, disse a emocionada recicladora.
Larissa informou ainda que a quarta-feira foi corrida e até às 23h pessoas anônimas levaram donativos.
“Moro em local de difícil acesso e não sei como agradecer. Pessoas de posse vieram aqui. Até policial militar, guarda municipal, gente que trabalha em escola. Minha filha ganhou brinquedos. Que Deus abençoe a todos. Não consigo explicar o tamanho da minha felicidade”, repetiu várias vezes. “Sei que agora terei um cantinho e minha família não passará mais frio. Deus abençoe a todos”, finalizou.

Fonte: São Carlos Agora

Comentários