MORADOR DE ARARAQUARA É SUSPEITO DE INVASÃO NO CELULAR DE SÉRGIO MORO.








Nesta terça-feira (23), a Polícia Federal de Araraquara deflagrou uma mega operação em Araraquara.

Segundo informações, equipes da Polícia Federal e delegados vindos da cidade de Brasília fizeram buscas em uma residência e aprenderam documentos, computadores, e outras coisas em uma residência localizada na Rua Santa Inês, na Vila Xavier, em Araraquara. A Polícia também realizou diligência em residência no Jardim Roberto Selmi Dei.

A investigação está ligada a fraudes, e desvios de dinheiro e uma possível invasão de telefone do atual Ministro da Justiça Sérgio Moro, e envolvimento com tráfico de drogas, e o principal acusado é um homem conhecido como ''vermelho''. O portal Araraquara24horas conseguiu informações que não são secretas devido a terem sido contadas a várias pessoas, inclusive o portal Araraquara24horas,  ser o primeiro a postar a notícia do mandado de buscas e apreensões pela polícia federal na cidade. 

Junto nas investigações, estão os ataques a telefones celulares de autoridades ligadas ao Governo Federal, e a operação Lava-Jato, e a invasão do telefone do atual Ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, pois a polícia acredita que a mesma pessoa investigada esteja ligada no envolvimento da invasão do celular de Sérgio Moro. Uma pessoa foi detida em Araraquara.

Na residência, infelizmente o suspeito não foi encontrado, mas muitas coisas foram apreendidas no local. 

Vermelho, é foragido a justiça e pode ser preso a qualquer momento. 

A Polícia Federal relatou que aconteceu a operação na cidade e várias outras cidade, e que ainda não conseguem confirmar se a relação na invasão ou não, porém ainda é suspeita e não tem confirmação.




Celular de Sergio Moro é invadido por hacker



SÃO PAULO, 5 JUN (ANSA) – O celular do ministro da Justiça Sergio Moro foi invadido por hackers, que chegaram a usar o aparelho por seis horas.   
A invasão ocorreu ontem (4) e o juiz teve de cancelar a linha telefônica. O caso está sendo investigado pela Polícia Federal.   
Moro recebeu uma ligação telefônica por volta das 18h, do próprio número. Apesar de estranhar a chamada, Moro atendeu a ligação.   
A tática já é conhecida pelas autoridades e permite que hackers acessem o aparelho. O autor do ataque ao celular de Moro conseguiu usar o sistema até 1h da manhã e mandar mensagens pelo aplicativo Telegram

O caso levanta uma polêmica sobre a segurança em torno do presidente Jair Bolsonaro, que usa um celular comum para tratar de assuntos de governo e acessar aplicativos como WhatsApp e Twitter.   
O presidente tem direito a um aparelho criptografado concedido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), mas que não permite a instalação desses aplicativos. (ANSA)


Fonte: ISTOÉ

Comentários