Criança de três anos morre com meningite








Uma menina de três anos morreu devido a uma meningite por haemófilos influenza, uma infecção bacteriana aguda das meninges, em Muriaé, na Região da Zona da Mata. A garota foi internada nessa terça-feira, e 24 horas depois não resistiu aos sintomas da doença. Medidas de profilaxia foram tomadas na escola particular que a criança frequentava, e também nos familiares e pessoas que tiveram contato com ela. 

De acordo com a Prefeitura de Muriaé, a garota deu entrada no Hospital São Paulo com os sintomas da doença. Nesta quarta-feira, o quadro se agravou e ela não resistiu. “Exames laboratoriais comprovaram a causa do óbito como sendo meningite por haemófilos influenza, uma infecção bacteriana aguda das meninges. Familiares, pessoas íntimas, profissionais da educação e de saúde e alunos que tiveram contato com a menina vão receber quimioprofilaxia por rifampicina, procedimento indicado para os contactantes íntimos expostos até sete dias do início dos sintomas”, informou. 

Uma busca ativa por pessoas não vacinas também será realizada na escola que a menina frequentava. “A Secretaria de Saúde também solicitou à escola que garanta informações sobre o estado vacinal das pessoas que tiveram contato com a menina, para fazerem parte das ações da SMS e saber a necessidade de imunizações”, explicou a Secretaria de Saúde. 

“A Secretaria Municipal de Saúde informa que não há motivo para pânico e reforça que este é um caso isolado e raro. Mais uma vez, a Prefeitura lamenta o falecimento da criança e transmite a seus familiares os sinceros sentimentos de pesar”, finalizou. 

Posicionamento da escola


A direção da escola onde a garota estudava emitiu uma nota aos pais de alunos. “Foram dadas as devidas orientações para os pais e para a Escola, em relação às medidas que serão tomadas com os alunos que tiveram contato direto com a garota, por 4 horas diárias, no período de 5 dias consecutivos. Quanto às aulas; fomos informados pelas autoridades que NÃO HÁ NECESSIDADE DE SUSPENSÃO DAS AULAS; pois os alunos não tinham contato direto por período prolongado com a criança infectada”, informou. 

“Ressaltamos, ainda, que a ESCOLA SÃO PAULO, sempre atua com muita responsabilidade nas questões que dizem respeito aos seus alunos, pais e funcionários. Pedimos aos senhores que fiquem tranquilos e que não atentem para notícias que circulam, de maneira aleatória e sem teor científico, nas redes sociais”, completou. 

Fonte:em.com.b

Comentários