“Até mais, meu menino…”, diz professora de criança morta pelo pai











Cristina Seixas, professora de Matheus Gabriel Kuasne, 9 anos, assassinado pelo pai, na última sexta-feira (13/09/2019), postou uma homenagem ao menino nas redes sociais. Ela relembrou momentos de alegria e falou de quanto o garoto era querido pela turma.
“Hoje não tivemos seu sorriso largo, seu olhar de deboche… Hoje não precisei dizer: ‘Matheus, fale mais baixo, a escola inteira está te ouvindo’, hoje não teve bronca por causa da letra garrancho, hoje não teve o ‘bico’ porque pedi para refazer a atividade… Hoje não teve você”, escreveu.
“Mas hoje teve a maior demonstração de amor que vivi em 30 anos de magistério. Hoje teve uma turma de 25 crianças chorando por duas horas ininterruptas a perda e a saudade de você. Teve demonstração de como você com seu jeito ‘sarrista’ fazia a diferença na vida de seus amigos… Choramos muito, mas também rimos relembrando do seu enorme coração e de sua generosidade. Sua carteira ficou lá, vazia, como se você fosse chegar atrasado… mas você não chegou… O que nos conforta é saber que você está livre da maldade e das dores deste mundo. Com certeza você deve estar soltando pipa com os anjos. Até mais meu menino…”, finalizou Cristina.
Relembre o casoPai e filho estavam em um Chevrolet Corsa quando o veículo bateu de frente com um caminhão na PR-445, saída para Curitiba. Marco Antônio é suspeito de causar propositalmente o acidente por não aceitar o fim do relacionamento com a mãe do menino, Erika Kuasne.

Antes da colisão, ele mandou o filho gravar um vídeo para Erika. “Adeus, mamãe”, disse o pequeno. Marco Antônio também teria enviado uma mensagem para ela. “Minha decisão foi tomada, não volto atrás. Ia ser você, mas aqui vai doer mais para ti”, escreveu. Erika chegou a ir à delegacia pedir ajuda.
Fonte: Metropoles

Comentários