Bolsonaro diz que governo termina 2019 ‘sem denúncias de corrupção’
















Em pronunciamento de Natal exibido na noite de terça-feira 24, o presidente Jair Bolsonaro fez uma defesa de seu primeiro ano de governo. “Estamos terminando 2019 sem qualquer denúncia de corrupção. O mundo voltou a confiar no Brasil”, disse.
Bolsonaro disse que 2019 foi um ano especial, de “algumas conquistas”. Durante a mensagem, o presidente afirmou que tem muito a agradecer, em especial, a grande parte da população que lhe deu a missão de presidir o país.

Ainda na fala, o presidente relembrou o atentado que sofreu durante a campanha eleitoral, em 2018. “Tenho que agradecer a Deus que me deu uma segunda vida e tive a possibilidade ímpar de escolher 22 ministros pelo critério técnico e compromissados com o futuro do Brasil”, afirmou.
Em dois minutos e 45 segundos de pronunciamento, Jair Bolsonaro destacou algumas realizações de seu primeiro ano de mandato. O presidente disse que o Brasil atualmente conta com números positivos na economia, com queda nos índices de criminalidade e com aumento de turistas. Na mensagem, o presidente afirmou que o pagamento do 13° salário para os beneficiários do Bolsa Família, a Lei da Liberdade Econômica e as obras feitas pelo Exército demonstram os novos rumos do país.

“O viés ideológico deixou de existir em nossas relações comerciais”, disse o presidente.
Em seu discurso, Bolsonaro ignorou os escândalos envolvendo o seu filho, o senador Flávio Bolsonaro, e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL). Flávio é investigado pelo seu suposto envolvimento em um esquema de desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).
O senador nega qualquer irregularidade, mas segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), há indícios de que ele teria utilizado uma loja de chocolates da qual é sócio para lavar dinheiro.
A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, finalizou a mensagem desejando feliz Natal e disse que espera um Brasil “mais justo, mais inclusivo e mais solidário para todos”. Assista:

(Com Agência Brasil)

Comentários