São-carlense vence o câncer, engravida e amamenta filho com apenas um seio















Perseverante, obstinada, guerreira, vitoriosa, batalhadora. Este é o perfil da dona de casa Simone Borelli, 32 anos. Ela reside na Vila Prado, em São Carlos, com o marido, o representante comercial Luan Henrique dos Santos, 31 anos e com os herdeiros Lucca, 5 anos e Benício, 5 meses.
Simone tem uma história de vida e de superação após ser diagnosticada com um carcinoma (câncer de mama maligno). Passou por cirurgia e perdeu a mama direita, chegou a entrar em depressão e até separou-se do marido, mas sempre desejou viver.
A vontade era de viver dia após dia. Então reatou novamente o seu casamento, e sem planejar, engravidou pela segunda vez.
A chegada do pequeno Benício fez com que ela refizesse todos os seus planos de vida, ainda mais quando conseguiu amamentar seu caçula por 40 dias. “Só não mamou mais, porque ele deixou o peito cedo”, disse.
EXEMPLO DE SUPERAÇÃO
São Carlos Agora chegou até Simone graças a Walquíria Beijo, fundadora da ONG Oncovita, que teve papel fundamental na recuperação da são-carlense.
A reportagem foi até sua casa e após uma emocionante entrevista, Simone detalhou a longa batalha e não titubeou ao afirmar: “venci a guerra”, ao se referir ao câncer de mama maligno.
A ENTREVISTA
“A DOENÇA
Tudo começou quando eu tinha 29 anos, eu amamentava meu primeiro filho (Lucca), quando a mama esquerda secou e percebi um nódulo na mama direita. Eu pensei que era ‘leite empedrado’ e fui deixando, e assim, se passaram seis meses, e neste período fazia massagens durante o banho, mas nada acontecia. Até que um dia minha cunhada pediu para procurar um médico e fui a um ginecologista.
Fiz um ultrassom, mas ele me adiantou que poderia ser um carcinoma. Fui encaminhada ao Centro de Oncologia onde fiz vários exames (mastologia, mamografia, biopsia). Quando chegaram os resultados, a ansiedade falou mais alto e abri o envelope e o resultado era positivo. Para completar o nervosismo e a ansiedade, avisei a família pelo grupo de WhatsApp”.
SEM NOÇÃO
“Ao ter ciência que tinha câncer de mama, não tinha noção, até achei normal na minha cabeça. Mas após uma nova consulta no Hospital Amaral Carvalho (em Jaú) e ter a real noção do perigo de morte que eu corria, caiu a ficha. Entrei em desespero, chorei muito. A impressão é que perdemos o chão. O mundo começa a cair”.
COMEÇA A BATALHA
“Após ter conhecimento que poderia perder minha vida, com o apoio do meu marido e de toda a minha família, que teve um papel muito importante na minha trajetória, comecei a mais difícil batalha da minha vida: lutar por ela”.
MEDICAÇÃO FORTE
“Durante agosto de 2016 a setembro de 2017 foi o período mais traumático da minha existência. Fiz a cirurgia para retirada total da mama direita. Passei por 16 sessões de quimioterapia, tomei 18 vacinas, além de 25 sessões de radioterapia”.
NU EM PELO
“Além da mama direita, perdi meus cabelos. Na verdade, todo o pelo do corpo”.
ESTRESSADA, MAS VAIDOSA
“Antes de ser acometida pelo câncer de mama eu muito estressada. Perdia a paciência por qual coisa ou situação, até mesmo as coisas simples. Então veio o tratamento e outra realidade. Fiz uma autoanálise e mudei, permaneci apenas com minha vaidade, hoje sou calma, dou muito valor à vida. Amo meu marido e meus filhos”.
SEM STRESS POR UM “CORPO PERFEITO”
“Não tenho a mama direita, mas uso um bojo “(sutiã adaptado). Não estou preparada para uma cirurgia para implantar uma prótese. Quero explicar que tenho vaidade, mas não sou ‘encanada’ em ter um corpo perfeito. A saúde é mais importante”.
ACOMPANHAMENTO
“Agora faço acompanhamento de quatro em quatro meses (apenas rotina) e mamografia anualmente. Mas posso dizer que, Graças a Deus, minha saúde está perfeita”.
SENSAÇÃO MARAVILHOSA
Como havia dito antes, engravidei sem ter planejado, um ano após ter encerrado o tratamento, veio esse troféu, o caçula Benicio de cinco meses. A gente fala que ele veio do ‘acaso’, mas não é bem assim (risos). Não esperava ter outro filho, porém aconteceu. Por 40 dias amamentei com o seio esquerdo. Sofri bastante amamentando apenas com um seio, pois doía muito, mas era uma sensação maravilhosa ao mesmo tempo e saber que uma mama minha produziu leite para o meu filho, faz me sentir realizada. E não amamentei mais, porque ele deixou bem cedo o peito.
MUITOS SONHOS
“Tenho só 32 anos e almejo ter muitas décadas de vida, se assim Deus me permitir. Sinto-me realizada, porém tenho muitos sonhos a realizar com meu marido. Muitos, mas o principal, ter a casa própria”.
ONCOVITA
“Após ser diagnosticada com o tumor, conheci a Oncovita (ONG que procura proporcionar autoestima as mulheres portadoras da doença) e conheci a Walquíria Beijo, uma grande amiga. Estava com meu interior acabado e cheia de dúvidas e sem nenhuma autoestima. Tive um grande apoio em todos os sentidos, inclusive esteticamente. Fiz sessões de fotos (três que foram expostas em eventos), aprendi a controlar minha ansiedade e meu stress. Enfim, comecei um novo processo de renascimento”.
MESMO APAIXONADA, LARGOU DO MARIDO
“Quando fui acometida pela doença, não tinha cabeça para nada. Mesmo apaixonada, terminei meu casamento e fui morar com o Lucca (primogênito) com minha irmã. Foi muito ruim, meses péssimos. Estava sem cabelos, sem um seio. Momentos críticos”.
REATAR O RELACIOMENTO
“Eu e meu marido (Luan) temos o mesmo ciclo de amigos. O cabelo começou a crescer e fomos lentamente se aproximando durante um longo ano. Em 2017, após comum acordo, retornamos. Não deveria ter largado. No meu ponto de vista, achava que meu marido poderia não gostar de como eu fiquei. Agora, nossa meta e ver os filhos crescerem. Estamos bem e felizes”.
--
MARAVILHOSA
Durante a entrevista, a reportagem do SCA entrevistou o marido de Simone, Luan que a definiu com ‘maravilhosa. “Minha mulher maravilha”.
Segundo ele, sua mulher foi uma guerreira, e que nesse momento difícil, a viu lutar pela vida. “Lutou com unhas e dentes. Eu dei suporte a ela. Sempre ao seu lado”.
Luan não esconde que em alguns momentos se abalou pela situação, uma vez que Simone ficou sem um dos seios e sem o cabelo. “Mas ela é guerreira e não se importou com a estética. A Simone fortaleceu nossas vidas e é uma vitoriosa”, disse.
Hoje Luan afirmou que vive uma vida tranquila ao lado da esposa e pode proporcionar bem-estar à família.
Salientou ainda que se sentiu orgulhoso com as sessões de foto da esposa. Para ele, um exemplo a ser seguido.


“Ao ver as fotos dela (Simone) fico feliz. Ver ela se expor, mas com dignidade, expondo seu corpo para que as pessoas entendam o que ela passou e a mensagem que ela quer passar”, finalizou.

Fonte: São Carlos Agora

Comentários