Testes acusam mais de 10 casos de Covid-19 entre servidores da Educação em três dias em Araraquara

 




Nos três primeiros dias da Educação municipal de Araraquara em atividade presencial esta semana (5, 6 e 7 de abril), pelo menos onze servidores tiveram resultado positivo para Covid-19. Este foram apenas os casos comunicados espontaneamente ao Sindicato da categoria, o número real deve ser muito maior. Todos estavam assintomáticos.

Eles não se contaminaram nas escolas, porque o trabalho presencial começou nessa segunda-feira (5), mas estavam indo nas unidades e podem ter contaminado outras pessoas. Além disso, outros servidores que não foram testados podem estar assintomáticos e transmitindo o vírus.

A identificação destes casos assintomáticos é a prova do risco que todos estão correndo ao retornar presencialmente às unidades.

“Somos solidários e compreendemos o sofrimento das crianças e das famílias sem escola há um ano. Os servidores da Educação trabalharam dobrado neste ano e se dedicaram para tentar reduzir esta distância e minimizar o impacto do fechamento das unidades, justamente pela consciência do transtorno que é uma escola fechada. Queremos que as escolas possam abrir o mais rápido possível, porque entendemos o papel da escola principalmente na vida das famílias mais vulneráveis. Mas, a reabertura não pode ser feita a qualquer preço, muito menos se o preço a ser pago for a vida de alguém”, ressalta o Sindicato dos servidores Municipais de Araraquara e Região.

“Se há famílias em dificuldade neste momento não é por culpa dos servidores que querem preservar suas vidas, é porque o governo federal ignorou a pandemia, não comprou vacinas e não garantiu auxílio digno que permita às pessoas ficarem em casa, o governo estadual está mais preocupado com as eleições do que em controlar a pandemia e o governo municipal aposta que havendo leitos disponíveis está tudo bem. Quem precisa cuidar do povo são os governos, e não mandando servidores para a morte, mas com ajuda financeira para todos poderem fazer o devido isolamento social. Tem dinheiro e vontade política para tanta coisa, porque não tem para pagar auxílio? Diversas cidades, em pelo menos 14 estados, pagam auxílio emergencial municipal para seus moradores. Aproveitamos para agradecer a todos que valorizam realmente a educação e reconhecem a importância dos estudos na vida das pessoas. Agradecemos àqueles que preferem a sabedoria e o conhecimento em vez de se orgulhar de serem ignorantes, aos que valorizam o ensino de História, por exemplo, para que as barbaridades do passado não se repitam no futuro e aos que reconhecem a grandeza das universidades públicas, que tanto têm colaborado com a saúde pública e para que a vacina chegue aos brasileiros”, resume o SISMAR.

A greve da Educação em Araraquara segue desde segunda-feira (5).