SEXTA-FEIRA SERÁ FERIADO EM ARARAQUARA.

 



Na próxima sexta-feira (09), o Feriado Estadual da Revolução Constitucionalista de 1932, será mantido na cidade de Araraquara.

A data ficou de fora da antecipação de feriados do calendário feita em março pela Prefeitura, como uma das formas aumentar o isolamento social e consequentemente evitar a proliferação do coronavírus.


Em Araraquara, vários setores irão fechar, mas a abertura do comércio será facultativa, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomércio).

De acordo com o Sincomércio, a Convenção Coletiva de Trabalho, de 12 de janeiro de 2021, permite que o comércio funcione em dois domingos e dois feriados.

Revolução Constitucionalista de 1932


Revolução Constitucionalista de 1932 foi uma revolta ocorrida no estado de São Paulo contra o governo de Getúlio Vargas.

As elites paulistas buscavam reconquistar o comando político que haviam perdido com a Revolução de 1930, pediam a convocação de eleições e a promulgação de uma Constituição.

O dia da Revolução Constitucionalista é celebrado em 9 de julho e é feriado no estado de São Paulo.

Causas da Revolução de 1932

A Revolução de 1930 depôs o presidente Washington Luís (1869-1947) e impediu a posse do paulista Júlio Prestes (1882-1946), levando Getúlio Vargas ao poder.

Embora tivessem perdido sua hegemonia política, os paulistas apoiaram Vargas com a esperança de que ele convocasse eleições para a Constituinte e para presidente.

No entanto, o tempo passava e isso não acontecia. Desta maneira, uma forte oposição ao governo Vargas foi iniciada pelos fazendeiros paulistas.

Além disso, houve também grande participação de estudantes universitários, comerciantes e profissionais liberais, que exigiam convocação de eleições.

Assim, no dia 23 de maio de 1932, aconteceu um ato político a favor de eleições, no centro de São Paulo. A polícia reprime um grupo de manifestantes e causa a morte de quatro estudantes: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo.

O fato revolta a sociedade paulista e as iniciais dos jovens - M.M.D.C. - tornam-se um dos símbolos do movimento.