Embrapa atualiza informação e diz que 800 hectares de fazenda foram destruídos pelo fogo




A assessoria de imprensa da Embrapa São Carlos atualizou no início da tarde desta sexta-feira, 10, o saldo extremamente negativo causado por um incêndio de grandes proporcionais que atingiu a fazenda Canchim, entre terça-feira, 7 e quarta-feira, 8.


Na quinta-feira, 9, em uma primeira nota, a assessoria dava conta que o fogo tinha consumido entre pastagem e área de proteção permanente, 790 hectares. Após nova contabilidade, as labaredas se alastraram por mais de 800 hectares.


Quanto aos animais mortos, o número correto é que 32 morreram carbonizados e não 50, como na primeira nota. Todos bovinos da raça Canchim. Experimentos de pesquisas também foram atingidos pelo fogo.


Por outro lado, segundo a assessoria, mais de mil animais foram manejados e salvos pelos funcionários da Embrapa.


A notícia mais auspiciosa na nota é que todos os focos de incêndio foram dizimados em toda a área da Embrapa.


A NOTA


Abaixo, a nota atualizada encaminhada pela assessoria de imprensa da Embrapa:


“O incêndio que atingiu a Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos (SP), na quarta-feira (8), queimou mais de 800 hectares da área da fazenda, incluindo pastagem e reserva florestal.  


Mais de 1 mil animais foram manejados pela equipe que atuou no combate ao incêndio para áreas longe do fogo. No entanto, os brigadistas não conseguiram salvar 32 animais, bovinos da raça Canchim. Dez estão em tratamento com os veterinários da Embrapa.


Experimentos de pesquisas também foram atingidos pelo fogo.


A Embrapa Pecuária Sudeste faz a manutenção dos aceiros anualmente antes do período crítico de seca e segue as regras em termos de largura e localização. Além disso, tem Brigada de Incêndio própria. O treinamento anual dos integrantes ocorreu em dezembro de 2020, com orientação do Corpo de Bombeiros de São Carlos.


Não há mais focos de incêndio na área da Embrapa”.