Empresário acusado de matar dois irmãos se apresenta na Delegacia de Sertãozinho

 




O empresário Gerson Donizetti Petri, de 38 anos, se apresentou na tarde desta terça-feira (1) acompanhado de sua advogada na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sertãozinho. Acusado de matar dois irmãos no último sábado (29), em um sítio no distrito de Cruz das Posses, em Sertãozinho. Gerson confessou a autoria do crime à Polícia Civil. As informações são do site A Cidade On.

Gerson Donizetti Petri, de 38 anos, prestou depoimento na tarde desta terça-feira (1) | Foto: Divulgação/ Redes sociais.

Em depoimento ao delegado Targino Osório, responsável pelo caso, Gerson disse que agiu em legítima defesa após uma discussão por causa da compra de um rancho, há um ano. Os três seriam amigos e estavam confraternizando no dia do crime. 

O delegado conta que Gerson disse em depoimento que é parceiro de pesca do pai de Elias e Marco e há um ano comprou um rancho próximo ao rancho do homem, mas ficou com receio de falar e ele [o pai das vítimas] entender que Gerson 'não queria mais ser companheiro de pesca dele'.  

"Nesse dia [sábado] ele resolveu falar "Nesse dia [sábado] ele resolveu falar 'olha, queria falar para o seu pai que comprei um rancho e queria que vocês dessem jeito um dele não interpretar como se eu estou fugindo dele, de pescar com ele'".

Ainda segundo o delegado, Gerson contou que os irmãos ficaram bravos, dizendo que ele 'não deveria ter feito aquilo' e começaram a trocar tapas.  Na sequência, ele conta que viu o vigilante do sítio se aproximar e que teria ouvido um dos irmãos gritar 'atira', seguido de um disparo. "Ele viu que o vigilante se aproximou e fala que ouviu um tiro e o Marco gritando 'atira'. Como estava a arma dentro do carro, puxou a arma e atirou. O Marco estava do lado, na porta do motorista. Aí o Zé Elias estava no capô, ele atirou pelo parabrisa e atingiu o Zé Elias. Aí ele estourou [com o carro] o portão e saiu. Uma discussão banal."

Marcos e José Siena foram mortos a tiros em Sertãozinho | Fotos: Arquivo pessoal

A versão de Gerson contradiz a do vigia que também foi ouvido nesta terça-feira.  Ele disse que só foi pegar a arma em um dos quartos da casa, porque ouviu disparos. 

A polícia também disse que pretende ouvir o pai dos irmãos mortos e que segue investigando o caso que foi registrado como duplo homicídio.