Restaurantes Populares serão geridos pela cooperativa de mulheres Panelas Unidas

 




Araraquara teve nesta quinta-feira (24) mais uma demonstração de que o cooperativismo e a economia solidária são uma alternativa viável para a geração de emprego e renda e o combate à vulnerabilidade social: o prefeito Edinho assinou a ordem de serviço para início das atividades da Cooperativa de Trabalho e Serviços de Alimentação Panelas Unidas nos Restaurantes Populares 1 e 2.

Criada com apoio da Prefeitura, por meio do projeto “Cooperativismo como Porta para o Futuro”, a cooperativa Panelas Unidas reúne 15 mulheres cozinheiras que foram beneficiárias de programas sociais do município e vieram de situação de vulnerabilidade social.

A cooperativa venceu chamamento público e será responsável pela operacionalização e pela administração dos Restaurantes Populares pelos próximos dois anos — antes, os restaurantes eram geridos pela Coordenadoria de Segurança Alimentar. Pelo serviço prestado, a Prefeitura irá repassar à cooperativa o valor de R$ 1.547.040, sendo R$ 64.460 ao mês.

“A construção de uma política de cooperativismo é uma tarefa muito difícil. Os trabalhadores foram educados para venderem a mão de obra. Ninguém foi educado para não ter a figura do chefe. Na cooperativa, todo mundo sabe o que está fazendo. Não existe hierarquia, mas todo mundo tem que cumprir o seu trabalho. O trabalhador é o protagonista do processo de geração de renda e de repartir essa renda. Estamos vivendo algo transformador”, afirmou o prefeito.

Edinho ainda se lembrou das primeiras reuniões (no final da década de 1990) de criação da Cooperativa Acácia, que se tornou exemplo nacional de coleta seletiva e reciclagem, e da recente criação da Coomappa, de motoristas de aplicativos (responsáveis pelo app “Bibi Mob”), entre outros exemplos de cooperativismo na cidade.

“Tenho certeza de que essa cooperativa vai crescer e vai inspirar outras cooperativas. Sempre acreditei no cooperativismo e lutei muito para que ele desse certo em Araraquara. Agradeço a todas as mulheres e todos os homens que trabalharam para esse sonho se tornar realidade”, complementou Edinho.

Representando a Câmara Municipal, a vereadora Thainara Faria (PT), emocionada pela história de superação das cooperadas, recordou momentos difíceis pessoais e parabenizou as mulheres cozinheiras. “Espero que muitas pessoas possam realizar seus sonhos como eu pude realizar os meus. Estar ‘do outro lado’ e votar projetos como o ‘Coopera Araraquara’ na Câmara já resumem minha vida. Minha vida já fez sentido por poder oportunizar que vocês sejam donas dos próprios destinos. Vocês, mulheres, colocarão comida na boca de muita gente”, afirmou Thainara.

O vice-prefeito e secretário do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Damiano Neto, desejou sucesso à cooperativa. “Nós confiamos em vocês. Podem contar com toda a equipe da Prefeitura. A cooperativa já deu certo, pois construir o que vocês construíram não é fácil.”

Para Jacqueline Barbosa, secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, a assinatura da ordem de serviço representa o direito à alimentação, o fortalecimento da agricultura familiar e o incentivo ao cooperativismo. “Vocês venceram o chamamento público e estão aqui. Vocês devem ter muito orgulho dessa caminhada”, declarou.

Camila Capacle, coordenadora do Trabalho e de Economia Criativa e Solidária, também emocionada, relembrou todo o processo de criação da cooperativa Panelas Unidas e destacou a projeção que o município está alcançando nesse setor. “São 20 anos de economia solidária em Araraquara. Araraquara está se tornando referência em economia solidária para o Brasil”, afirmou.

A coordenadora de Segurança Alimentar, Silvani Silva, agradeceu a todos os servidores públicos envolvidos no processo de elaboração do chamamento público e destacou o cooperativismo como uma alternativa para enfrentar a vulnerabilidade social. “Atualmente, falar de cooperativas é falar em erradicar a pobreza e acabar com a fome. E a gente não suporta a pobreza e nem a fome.”

E a presidente da cooperativa Panelas Unidas, Letícia Souza da Silva, também fez agradecimentos às demais cooperadas pelo apoio e parceria desde o período em que frequentaram os programas sociais e se capacitaram. “A gente cozinhava para a gente, mas não tinha noção da imensidão do mundo da cozinha. Agora, as meninas são dedicadas somente à cooperativa Panelas Unidas. E nós não vamos parar por aqui. A gente vai conseguir”, declarou.

Também estiveram no evento as vereadoras Filipa Brunelli (PT) e Fabi Virgílio (PT) e os vereadores Paulo Landim (PT) e Guilherme Bianco (PCdoB); a secretária de Direitos Humanos e Participação Popular, Amanda Vizoná, além de coordenadores e gestores municipais; Luciane Girasolo, representando o Sebrae Araraquara; Patrícia Marchetto, representando a Unesp Araraquara; além de representantes de outras cooperativas do município.

Unindo as panelas
A primeira atividade da Panelas Unidas aconteceu antes mesmo da formalização da cooperativa: em março de 2020 ocorreram atividades em homenagem às mulheres, com a realização da Feira de Mulheres Criativas, reunindo barracas de alimentação e artesanato na Praça do Daae; o grupo de mulheres participou vendendo alguns doces e sobremesas. Seu segundo trabalho foi para a Fundação Toque, com um almoço servido na instituição.

No ano passado, com a realização da XIII Conferência Municipal de Assistência Social, em agosto, e a II Conferência de Economia Criativa e Solidária, em setembro, a cooperativa foi responsável pela confecção dos kits de alimentação distribuídos aos presentes durante os dois eventos.

Também em 2021, a cooperativa prestou serviços de alimentação à Secretaria Municipal de Educação em algumas escolas públicas. Sua última atividade foi no dia 4 de dezembro de 2021, quando serviu um café da manhã no evento dos 20 anos de criação da Cooperativa Acácia e Dia Municipal do Catador de Materiais Recicláveis.

Refeição a baixo custo
Araraquara possui dois Restaurantes Populares: o 1 fica na Rua Nove de Julho, nº 3319, na Vila José Bonifácio, enquanto o 2 está na Avenida José Fernandes de Mattos, nº 354, no Distrito Industrial. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 11h30 às 13h30. São 3.500 refeições mensais fornecidas.

A população paga o valor de R$ 5,90 por refeição, sendo que o Município subsidia o valor excedente do custo de produção (R$ 5,82) junto com as demais despesas referentes à manutenção do programa. Em 2021, foram investidos cerca de R$ 480 mil para a manutenção dos dois Restaurantes Populares.