Cinco pessoas da mesma família são encontradas mortas dentro de casa em condomínio no RS

 



Segundo a Polícia Civil, homem matou a esposa, o filho, a mãe e a sogra e depois cometeu suicídio

Cinco pessoas da mesma família foram encontradas mortas dentro de uma casa em um condomínio no bairro Santa Tereza, na zona sul de Porto Alegre, na manhã desta quarta-feira (27/4). O crime aconteceu em um residencial da Rua Dona Maria, próximo à Rua Silveiro. As informações são da GZH.

Crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (27/4) | Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Segundo o delegado Leandro Bodóia, da Delegacia de Homicídios, um homem matou a tiros a esposa, o filho adolescente, a mãe e a sogra. Depois, o atirador, de 44 anos, cometeu suicídio. 

A polícia ainda não confirma as identidades oficialmente, mas GZH apurou que o homem é Octávio Driemeyer Júnior, e as vítimas são a esposa dele, Lisandra Lazaretti Driemeyer, 45, o filho Enzo Lazaretti Driemeyer, 14, a mãe de Octávio, Delci Driemeyer, 79, e a mãe de Lisandra, que é sogra do autor, Geraldina Lazaretti, 81.

O imóvel tem três pisos. Todos os corpos foram encontrados no segundo andar, mas em cômodos diferentes, conforme a Brigada Militar. As pessoas foram mortas nos cômodos em que se encontravam dormindo — disse o tenente-coronel Eduardo Michel, comandante do 1º BPM.

O homem apontado como autor dos tiros foi encontrado sem vida no quarto do filho adolescente, segundo a BM. A polícia investiga se as vítimas haviam sido medicadas pelo atirador.

Condomínio fica no bairro Santa Tereza, em Porto Alegre. | Foto: RBS TV/Reprodução

Ele adotou aquela dinâmica de primeiro atirar na esposa, depois na mãe e na sogra, depois no filho e, no quarto do filho, cometeu suicídio — explicou o delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, titular da 4ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que ficará responsável pela investigação do caso.

Ainda de acordo com a polícia, havia uma sexta pessoa na residência, no primeiro andar, que não ficou ferida. Ela seria familiar de uma das vítimas e também moradora da casa.

Ele teria oferecido esse medicamento a essa única pessoa que sobreviveu. Ela afirma que, na hora, a conduta não chamou atenção, e acabou tomando. Apesar de ter ingerido o remédio, ele não teve o efeito desejado pelo homem, porque ela acordou com o barulho. Possivelmente, ele tenha dado esse medicamento também aos demais familiares para que dormissem — afirmou Pohlmann.

Essa senhora que sobreviveu morava com a família, mas não dá para dizer se ela trabalhava para a família. Já morava com eles há muitos anos. Ela é parente de uma das vítimas — completou.

Segundo o delegado, essa mulher que morava com a família ouviu o som dos disparos. Ela contou aos policiais que foi verificar o que havia acontecido e encontrou os corpos. 

Ela subiu em cada quarto, procurando os membros da família, e acabou encontrando aquela cena que tu pode imaginar. Ela acionou a polícia e, logo em seguida, chamou um zelador, pois se sentiu desamparada — contou o delegado.

Havia duas espingardas na residência, uma delas localizada embaixo do corpo do homem que efetuou os tiros.

Pelos relatos que tivemos, em conjunto com os peritos, ele teria feito os tiros das duas armas (encontradas na casa). São duas armas de calibre 12. Ele cometeu suicídio com uma das espingardas — disse Pohlmann.

O delegado afirma ainda que não havia registro de violência doméstica envolvendo o homem. A Brigada Militar afirma que Octávio era empresário e tinha duas empresas, em Canoas e Porto Alegre, uma do ramo de alimentos e uma ferragem.