“Meu dia escureceu”, diz mãe de menino morto em acidente com o pai












O enterro de Matheus Gabriel Kuasne Oliveira, de 9 anos, morto após o pai, Marco Antônio Alves, de 45, suportamente jogar o carro em que estavam contra uma carreta, será na tarde deste domingo (15/09/2019). Horas antes do sepultamento, a mãe do garoto, Erika Kuasne, usou as redes sociais para desabafar. Em uma série de publicações, ela demonstrou fé e pediu orações.
A Polícia Civil de Londrina investiga o caso. Erika defende que o acidente em Londrina, no norte do Paraná, foi premeditado pelo ex-marido, que não aceitava o fim do relacionamento. A tragédia ocorreu na tarde da última sexta-feira (13/09/2019).
Erika publicou uma mensagem na manhã desde domingo. “Deus diz: É tempo de viver coisas novas. Se prepare”, destaca o texto. Ela ressaltou: “Eu creio”. A postagem foi feita pouco antes das 8h.
Ao contar a morte do filho, Erika pediu para que as pessoas guardassem “o melhor dele”. “Hoje o dia escureceu para mim. Perdi meu bebê, mas Deus sabe todas as coisas. Guardem o melhor dele”, escreveu no Facebook.
Em entrevista à imprensa local, Erika contou que o ex-companheiro era agressivo e tinha feito o mesmo trajeto com ela pouco tempo antes. “Estou cheia de hematomas pelo corpo, ele gritou, disse que iria me matar, mas infelizmente ele fez com o meu filho, o Matheus foi assassinado”, lamentou.
Antes da tragédia, Matheus Gabriel tinha voltado da escola, almoçado e saído para brincar. “Perguntei para minha outra filha se o Matheus estava em casa e ela me disse que ele tinha ido lá fora brincar. Marco Antônio não aceitava ver que eu estava vivendo novamente sem ele”, frisou.
Entenda o caso
Pai e filho estavam Chevrolet Corsa. O carro ficou destruído após colisão frontal com um caminhão na PR-445, saída para Curitiba. Marco Antônio é suspeito de causar propositalmente o acidente.
Antes da colisão ele mandou o filho gravar um vídeo para Erika. “Adeus, mamãe”, disse o pequeno. Antes, Marco Antônio enviou uma mensagem para ela. “Minha decisão foi tomada, não volto atrás. Ia ser você, mas aqui vai doer mais para ti”, escreveu. Erika chegou a ir na delegacia pedir ajuda.
Inicialmente, o motorista e um passageiro da carreta informaram que o condutor do carro estava com as duas mãos no volante e se jogou em direção ao veículo maior. Um socorrista que estava no local relatou que não havia marcas de frenagem na pista.

Fonte: Metropoles

Comentários