Médicos descartam necessidade de Bolsonaro passar por nova cirurgia

 




A equipe médica que acompanha o presidente Jair Bolsonaro descartou, nesta terça-feira (4), a necessidade de uma nova cirurgia no aparelho digestivo e decidiu que ele seguirá o tratamento com medicamentos. O presidente está internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, desde a madrugada de segunda-feira (3) com quadro de obstrução intestinal.

Em nota, a equipe médica afirmou que o quadro de suboclusão intestinal se desfez. O presidente deve iniciar a dieta líquida nesta terça. Ainda não há previsão de alta. 

"O Hospital Vila Nova Star informa que o quadro de suboclusão intestinal do Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, se desfez, não havendo indicação cirúrgica. A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida. Ainda não há previsão de alta", diz a nota assinada por Antônio Macedo, cirurgião que acompanha Bolsonaro desde o atentado de 2018, e outros quatro médicos.

Macedo chegou ao hospital na manhã desta terça-feira (4) para avaliar a saúde do chefe do Executivo. Ele estava de férias nas Bahamas, mas voltou ao país assim que o presidente passou mal e foi encaminhado à internação, em São Paulo.

Na segunda, Bolsonaro passou por exames e não teve febre nem dor abdominal. Segundo o hospital, o presidente apresentou melhora  clínica após a passagem da sonda nasogástrica.

O presidente estava hospedado no Forte Marechal Luz, em São Francisco do Sul (SC), desde 27 de dezembro. Ele estava acompanhado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da filha, Laura, de 11 anos, para as festas de fim de ano.

O chefe do Executivo deixou o litoral catarinense por volta da meia-noite do domingo (2), em um helicóptero da Força Aérea, e desembarcou em São Paulo à 1h30 desta segunda. A previsão anterior era que ele passasse férias no local até o dia 4 de janeiro.

Já no hospital, o presidente postou uma foto nas redes sociais em que aparece usando uma sonda nasogástrica e disse que começou a passar mal após o almoço de domingo.

"Comecei a passar mal após o almoço de domingo. Cheguei ao hospital às 03h00 de hoje. Me colocaram sonda nasogástrica. Mais exames serão feitos para possível cirurgia de obstrução interna na região abdominal. É a segunda internação com os mesmos sintomas, como consequência da facada (06/set/18) e 4 grandes cirurgias", publicou o presidente.

O presidente passou por seis cirurgias em consequência da facada que recebeu. Foram quatro em 2018 e duas em 2019 — para retirada da bolsa de colostomia e para correção de uma hérnia na incisão da cirurgia. A última internação de Bolsonaro ocorreu em julho de 2021. Na época, ele ficou hospitalizado por quatro dias com um quadro de obstrução parcial do intestino delgado.

Fonte:R7